(11) 4544-2443 (11) 4544-4122 contato@contabilidadeetapa.com.br

Os maiores desafios de quem começa a empreender | Parte1


Quer ter seu próprio negócio, mas não sabe como irá superar os obstáculos da vida empreendedora? Aprenda com quem já passou por isso:

A vida de quem tem um negócio é cheia de obstáculos – especialmente no começo da empreitada, quando a falta de prática na administração de empreendimentos é mais latente. Diante de tantos desafios, muitos abandonam o sonho de serem seus próprios chefes.

Mas não tem de ser assim. O melhor antídoto para a falta de experiência no mundo dos negócios é anotar os conselhos de quem já errou: outros empreendedores.

Por isso, reunimos grandes obstáculos de quem começa a empreender, com depoimentos de empreendedores reais com empreendimentos reais. Eles também relataram qual foi a solução encontrada para superar a adversidade e continuar com o negócio.

Dividimos em duas partes, Confira, a seguir,  quais são os 6 maiores desafios de quem está começando a empreender:

1 – Lidar com a solidão e a inexperiência

Muitos empreendedores citaram a falta de experiência ou de conhecimento como um grande desafio na hora de começar a empreender.

Vários, por exemplo, não sabiam como gerir as diversas áreas de uma empresa. “As maiores dificuldades para empreender surgem da falta de experiência ou de conhecimento especifico sobre a vastidão de temas que envolvem uma organização, do desenho de processos até detalhes do sistema tributário”, afirma Ana Cecilia Navarro, sócia da marca de roupas Dra Cherie.

Outros empreendedores citaram a falta de experiência em seu próprio ramo de atuação. “O maior desafio era que não possuíamos experiência anterior em empreendedorismo no segmento de internet”, conta Fernando Cymrot, do e-commerce automotivo Canal da Peça.

A solução encontrada por todos foi parecida: ler muito para aprender sobre o assunto e procurar mentores – pessoas que já passaram por situações similares e que podem transmitir seus conhecimentos e experiências, além de acompanhar os passos do seu negócio.

Outra solução é apostar na experiência dos seus próprios funcionários – desde que haja o plano de que esse conhecimento seja repassado para mais pessoas da equipe, evitando a dependência. Foi o que fizeram Daniel Luco Navarro e Gustavo Brunello, sócios-fundadores do negócio de alimentação LuccoFit.

“A solução encontrada foi se aliar a profissionais de qualidade, como cozinheiros e nutricionistas, que se identificam com a empresa e estavam dispostos a crescer juntos, dando o direcionamento e aperfeiçoando nossos processos”, contam os empreendedores.

2 – Abandonar de vez a vida de funcionário

Um desafio comum a quem quer abrir sua própria empresa é enfrentar o medo de abandonar a vida de funcionário. E a melhor solução para superar o receio é se cercar de uma rede de apoio e troca de conhecimento.

“A ‘solidão’ do empreendedor foi um grande desafio: não ter a estrutura corporativa que muitas vezes suporta com treinamentos, projetos e coaching fez com que eu me sentisse um pouco sozinho no início. Para superar estes desafios e não deixar que atrapalhassem o desenvolvimento do negócio, busquei na rede de amigos e de colegas empreendedores a ajuda necessária para aprender rápido sobre temas de startup”, conta Marco Zolet, CEO e fundador do Supemercado Now.

“Assim como eu, muitos empreendedores vieram de cadeiras corporativas e, em algum momento em suas vidas começam a empreender. Porém, o modelo mental ainda está preso no antigo mundo”, concorda Glauco Della Veja, fundador do negócio de networking República de Negócios.

“A solução para mim foi fazer uma formação voltada a negócios, liderança e empreendedorismo e também fazer um tour com vários empreendedores. Fiz muitas conversas e visitei muitas empresas.”

3 – Saber quando deixar de planejar e partir para a ação

Muitos empreendedores enfrentam o desafio de saber quando parar de refinar um produto e lançá-lo no mercado – especialmente no caso das startups, em que o timing é essencial.

“Aprendi que o planejamento em excesso pode matar a empresa. Um dos principais desafios no início foi encontrar o balanço certo entre planejamento e execução”, conta Gustavo Fuga, empreendedor da 4YOU2, negócio de cursos de idiomas a preços acessíveis.

“Durante os primeiros meses criamos planos de negócio, estruturamos os detalhes da operação, pensamos em organogramas detalhados, criamos processos complexos. Todo esse planejamento drenou muito tempo e dinheiro, recursos ultra escassos em quase todas as startups. Quando percebemos que éramos reféns desse excesso de planejamento, típico de grandes empresas, resolvemos que era a hora de rasgar o plano de negócios e ir para a rua testar demanda. Ou seja, executar e aprender durante a jornada.”

4 – Calcular custos antes de abrir uma empresa

Afinal, quanto custa abrir o seu futuro negócio? E de quanto dinheiro você vai precisar para não morrer na praia enquanto a empresa não dá lucro? Essas questões representam um grande desafio na vida de um empreendedor: cuidar das finanças empresariais.

Afinal, quanto custa abrir o seu futuro negócio? E de quanto dinheiro você vai precisar para não morrer na praia enquanto a empresa não dá lucro? Essas questões representam um grande desafio na vida de um empreendedor: cuidar das finanças empresariais.

Não saber fazer as contas pode comprometer a viabilidade do seu empreendimento. “A analogia que faço é a da compra um carro novo: junta-se dinheiro para a compra do veículo, mas não se calcula o quanto vai custar a gasolina, a manutenção, o seguro, o IPVA. E, dessa maneira, não se consegue manter o carro. No caso de uma empresa, o famoso plano de negócios é fundamental”, exemplifica Carlos Castro, fundador da marca de sapatos DIEM. Plano de negócios: Saiba com a ContaAzul como elaborar e comece agora Patrocinado

“O que fiz de diferente foi não fazer apenas um plano, mas vários: cada um com um cenário diferente, seja vendendo mais, seja vendendo menos. O último que fiz apresentava vendas nulas e, por meio dele, consegui estimar o quanto precisaria de capital de giro para aguentar um ano.”

João Furlan da Silva Telles, sócio-fundador da empresa de funilaria express ChipsAway Brasil, recomenda também o uso de sistemas que automatizam a maior parte dos cálculos, facilitando a análise mais estratégica da empresa.

Por fim, outro conselho importante é estimar o custo da burocracia e da desconfiança quanto ao seu negócio na hora de calcular o prazo de retorno do investimento.

“O tempo que gastamos para oficializar o projeto nos tomou quatro meses, falando basicamente do processo da abertura da empresa e demais processos junto a advogados, contadores e outros detalhes burocráticos. O empreendedor tem que estar disposto a trabalhar algum tempo sem perspectiva de faturamento”, afirma Paulo Teixeira, fundador do Ndays, e-commerce de produtos perto do prazo de vencimento.

5 – Defender o diferencial do seu produto

Se você está pensando em abrir uma startup, provavelmente se deparará com o desafio de convencer clientes e investidores de que sua ideia tem potencial.

“No início, enfrentei algumas barreiras para que principalmente o varejo compreendesse o diferencial do meu produto. Tive que conquistar um mercado e abrir um nicho de bebidas funcionais nas gôndolas”, afirma Daniel Feferbaum, CEO da WNutritional, fabricante brasileira de bebidas funcionais e orgânicas. “Para contornar essa situação, optamos em focar em uma divulgação por meio de profissionais de saúde que têm conhecimento técnico, pois os consideramos excelentes difusores do conceito das nossas bebidas.”

Para explicar o diferencial de seu produto, Antônio Miranda, CEO da Cuponomia, decidiu formar parcerias não com especialistas influenciadores, mas com os intermediadores do seu negócio: os grandes e-commerces. “Eles passaram a oferecer os códigos promocionais e ver como a estratégia funcionava. Gradativamente, fomos ganhando espaço e agregando valor.”

6 – Tornar sua empresa conhecida no mercado

O desafio de conquistar os primeiros clientes se relaciona a outro obstáculo: tornar seu negócio conhecido para o mercado.

Há várias formas de divulgar seu produto sem ter de pagar por anúncios de preço exorbitante. No caso da Dentpack, empresa de soluções para o mercado odontológico, a alternativa encontrada foi buscar os influenciadores do setor. Marketing digital: Conheça com a WorldSense as principais formas de anunciar na internet Patrocinado

“Eu precisava mostrar para profissionais e estudantes de odontologia que meu produto era funcional, prático e de qualidade. Nós buscamos pessoas influentes no mercado odontológico e enviamos nossos produtos para testes, pedindo que divulgassem feedbacks positivos ou negativos”, afirma Fabricio Figueiredo, sócio-proprietário da Dentpack.

Já a Direito de Ouvir, rede de clínicas de reabilitação auditiva, investiu no marketing digital e em um sistema de relação com consumidores (CRM). “Isso foi fundamental para tornar a marca e os produtos conhecidos. No último ano, a empresa cresceu 85% graças ao trabalho estratégico de conhecer, captar e reter clientes”, explica o CEO Fred Abrahão.

Fonte: http://exame.abril.com.br